Pizza de Sardinha no Liquidificador

Pizza de Sardinha no Liquidificador

13 de Maio de 2020 Off Por Sylvia Watkins
A pizza moderna foi originalmente inventada em Nápoles, Itália, mas a palavra pizza é de origem grega, derivada da palavra grega pēktos, que significa sólida ou coagulada. Os gregos antigos cobriam o pão com óleos, ervas e queijo. A primeira grande inovação que levou à pizza de pão achatado foi o uso de tomate como cobertura. Era comum os pobres da área em torno de Nápoles adicionarem tomate ao pão achatado à base de fermento, e assim a pizza começou. Embora seja difícil dizer com certeza quem inventou a pizza, no entanto, acredita-se que a pizza moderna tenha sido feita pela primeira vez pelo padeiro Raffaele Esposito, de Nápoles. De fato, uma lenda urbana popular afirma que a pizza arquetípica Pizza Margherita foi inventada em 1889, quando o Palácio Real de Capodimonte encomendou ao pizzaiolo napolitano Raffaele Esposito a criação de uma pizza em homenagem à rainha Margherita. Das três pizzas diferentes que ele criou, a rainha preferiu fortemente uma torta nas cores da bandeira italiana: vermelho (tomate), verde (manjericão) e branco (mussarela).

O que são sardinhas?

As sardinhas são pequenos peixes oleosos que pertencem à família dos arenques (Clupeidae). Sua origem exata é desconhecida, mas acredita-se que eles existiam em grande número no Mar Mediterrâneo. As sardinhas também são abundantemente encontradas nos oceanos Pacífico e Atlântico. O peixe de sardinha tem uma aparência distinta que o diferencia de outros tipos de peixe. Seu corpo é plano e coberto com escamas prateadas grandes e refletivas (embora essas escamas não sejam encontradas na cabeça). No centro da barriga, há um conjunto de nadadeiras de tonalidade escuras que são irregulares e apontam para trás. Também possui uma barbatana dorsal curta. Apesar de geralmente serem classificados como uma única espécie, na verdade existem vinte e um tipos diferentes de peixes que se enquadram na categoria sardinha. Sardinops, sardinha, dussumieria e sardinella são algumas das espécies mais conhecidas atualmente. As sardinhas são geralmente menores que outros peixes, variando de 15 a 30 cm de comprimento, e têm ossos macios. Elas vivem em grupos de quantidade densa e migram ao longo da costa. Sua dieta primária é o plâncton, que é filtrado da água do mar através de suas brânquias. As sardinhas têm pouco ou nenhum dente. Devido à sua abundância e por serem um dos peixes mais fáceis de obter, as sardinhas se tornaram fonte fonte de alimento há muito tempo. No entanto, elas ganharam popularidade no século XVIII, quando o líder militar francês Napoleon Bonaparte, com a ajuda do inventor Nicolas Appert, introduziu o conceito de alimentos enlatados para seus soldados – sendo a sardinha um dos primeiros itens básicos. A sardinha enlatada abasteceu as tropas de Bonaparte durante seus longos meses em campanha. Hoje, a sardinha em uma lata – embalada em salmoura, óleo e molhos diferentes – é um item básico da cozinha. Houve até um tempo em que a sardinha se tornou o maior componente único da colheita de peixes no mundo. Atualmente, países como França, Espanha, Noruega e Portugal são os principais produtores deste peixe. No entanto, Marrocos é o principal fornecedor e exportador de sardinha.

Ingredientes para fazer a pizza de sardinha

  • Massa: duas xícaras de trigo, uma xícara de queijo ralado, duas xícaras de leite, uma xícara de óleo, duas unidades de ovos, uma colher cheia de sopa de fermento e sal à gosto.
  • Recheio: Uma lata inteira de extrato de tomate, uma lata inteira de sardinha em conserva, uma lata inteira de milho, duas cebolas grandes, três dentes de alho e sal a gosto.

Modo de preparo

A primeira coisa que você vai precisar fazer é procurar por seu liquidificador. Dentro dele você colocará todos os ingredientes da massa e ligar o liquidificador, deixando até o ponto que os ingredientes incorporarem e a mistura se tornar homogênea. Para o recheio, você precisará levar o alho e a cebola no fogo, em uma panela média, até que ele frite. Após isso, você irá adicionar o extrato de tomate junto com o milho e deixar cozinhar por seus minutos, acrescentando depois a sardinha, temperando com sal à vontade. Para a montagem, você precisará untar uma assadeira de tamanho médio com óleo de cozinha. Feito isso, coloque foda a quantidade da massa, com muito cuidado no manuseio, espalhando por todo o fundo to tabuleiro. Após isso, você precisará colocar todo o recheio com cuidado em cima da passa e levá-la ao forno médio, pré aquecido, por aproximadamente trinta minutos.

Sardinhas são seguras para comer?

Talvez o aspecto mais interessante sobre a sardinha seja seu baixo teor de mercúrio. Esses peixes pequenos estão no fundo da cadeia alimentar aquática e, como se alimentam exclusivamente de plâncton, não abrigam mercúrio e outros contaminantes, ao contrário dos peixes grandes, como o atum. Eles também não vivem por longos períodos de tempo, o que significa que não acumulam mercúrio no corpo. Pelo menos 90% da população tem menos de 6 anos de idade, embora algumas possam viver até 14 anos. Por esse motivo, comer sardinha durante a gravidez é geralmente considerado seguro, e geralmente é até aconselhável, pois esse peixe é uma boa fonte de gorduras ômega-3 saudáveis. De acordo com o FDA dos EUA, as mulheres grávidas podem comer sardinha e outros peixes com baixo teor de mercúrio, desde que limitem seu consumo ao valor estipulado pelo médico. Além disso, a sardinha é hoje um dos tipos mais sustentáveis de frutos do mar, devido à sua alta taxa de produção e abundância. As sardinhas também são selvagens – não são ideais para a piscicultura devido ao seu curto ciclo de vida. Assim, comer sardinha – em oposição aos peixes de criação – é bom não apenas para você, mas também para o meio ambiente.